"Viagem à capital da grande arte"

de Paulo Briguet

Londrinense João Werner expôs gravuras digitais na Bienal de Florença.
E voltou de lá com muitas idéias.

"Viagem à capital da grande arte"Nenhum artista volta o mesmo depois de conhecer Florença. João Werner que o diga. Ele esteve na capital do Renascimento entre os dias 1o e 9 de dezembro, participando da 6a Bienal Internacional da Arte contemporânea; retornou ao Brasil com muitas idéias.

Conhecer Florença é entrar em contato com alguns dos ápices da cultura ocidental. "Foi a primeira vez em que saí do país - e me vi justamente nessa cidade extraordinária", diz o artista londrinense, que expôs 26 gravuras digitais na Fortezze da Basso, onde foi realizada a bienal.

Com 840 artistas de 76 países, o evento de arte florentino foi criado em 2001 e segue na contramão das bienais internacionais como as de Veneza e São Paulo. Em vez de apostar na arte conceitual, a Bienal de Florença investe em trabalhos figurativos. "Mesmo os trabalhos mais experimentais focalizam a figura humana", diz João Werner. Ele ressalta, no entanto, não ter reservas quanto ao experimentalismo. "Já vi coisas muito interessantes na Bienal de São Paulo." Ele próprio Já trabalhou bastante com o abstracionismo, mas confessa que a sua verdadeira personalidade artística está mais ligada ao figurativo. "No meu caso, a expressão e a imaginação são sempre figurativas. O abstrato é mais um jogo, uma organização de cores e formas."

A Bienal de Florença, segundo Werner, é uma babel de linguagens e estilos. "Não imaginava a dimensão do evento", confessa o artista. Nos corredores da Fortezze da Basso, circulam multidões interessadas em arte. Werner aproveitou para fazer contatos e distribuir folhetos informativos sobre seu trabalho. também acompanhou a presença performática dos ingleses George & Gilbert (homenageados deste ano na bienal) e conferências sobre Frida Kahlo e arte digital.

Arte digital, aliàs, tem sido a principal forma de expressão de João Werner nos últimos tempos. Depois de uma visita à Capella Brancacci (onde estão os magníficos afrescos do quatrocentista Masaccio) e ao célebre Davi de Michelangelo (na Galleria della'Accademia), Werner se sente mais animado para trabalhar com o computador. Para ele, se os renascentistas vivessem hoje em dia, usariam as técnicas digitais. "As técnicas sempre evoluíram ao longo da história. Durante mais de mil anos, usou-se têmpera de gema ou clara de ovo; depois, no século 15, surgiu a pintura a óleo, que demorava mais a secar e permitia maior detalhamento das figuras", lembra Werner. Agora, o computador permite esse trabalho de sintonia fina em qualquer estágio do trabalho é ao infinito. "A arte não é limitativa. A técnica digital cria novos desafios e permite ao artista exercer a própria liberdade", diz. Masaccio, Michelangelo e Da Vinci adorariam.

Dados da publicação

Briguet, Paulo, "Viagem à capital da grande arte", Jornal de Londrina, Londrina, 18 de dezembro de 2007, pp. 19.

Outros textos sobre a arte de João Werner

Textos de críticos de arte

Reportagens e matérias jornalísticas

Ensaios poéticos e apresentações de exposições

Livros de João Werner
à venda

Capa do livro "A figura na Comunicação Visual"

"A figura na Comunicação Visual"

Mais informações sobre o livro.
Kindle Amazon: R$ 38,37.

Capa do livro "A Terra e o trabalho com a Terra"

"A Terra e o Trabalho com a Terra"

Livro de arte com a reprodução de 34 pinturas cuja temática é o sagrado trabalho com a Terra. . São pinturas a óleo, acrílica e digitais, realizadas desde 2002.

Livro impresso, R$ 55,41.

Capa do livro "Mesa de bar"

"Mesa de bar"

Livro de arte com a reprodução de 32 pinturas a óleo, acrílicas e digitais sobre o cotidiano da vida citadina.

Livro impresso, R$ 55,41.

Capa do livro "Esculturas e relevos"

"Esculturas & relevos"

Reprodução de 48 fotografias de esculturas em cimento, madeira, ferro fundido, argila e gesso.

Livro impresso, R$ 58,06.

Capa do livro "Et in Arcadia Ego"

"Et in Arcadia Ego"

Reprodução de 39 pinturas a óleo, acrílicas e digitais de sátiros e ninfas.

Livro impresso, R$ 61,14

Capa do livro "Motel barato"

"Motel barato"

Livro de arte com a reprodução de 36 pinturas a óleo, acrílicas e digitais sobre o tema do erotismo e sexualidade.

Livro impresso, R$ 58,06.