"Cenas de botequim"

de Fábio Luporini

Matéria sobre minha exposição "Mesa de bar"

"Cenas de botequim"João Werner está menos agressivo. Os traços estão mais amenos e as temáticas, mais tranquilas. Pinturas que falam da correria para pegar o ônibus, do agito de uma grande cidade, de uma conversa de bar num fim de tarde, mas também de comer goiaba no pé "com bicho e tudo" de soltar pipa e jogar burquinha. é o fio que conduz a nova exposição do artista plástico, chamada Mesa de bar, aberta hoje, a partir das 14 horas, na própria galeria (R. Piauí, 191 - sala 71). A galeria fecha amanhã, feriado, e reabre na quarta-feira.

"Sinto muito, mas não tenho uma linearidade", declara João Werner. àsou um artista pouco linear. "Não faço questão de manter a linearidade [de temas]", ressalta. Apesar disso, seus traços apresentam sempre uma característica que os une. "Tenho uma coesão de linguagem", afirma. Aos olhos de quem vê, pode não haver entendimento algum. "Não tem uma coerência temática, mas um coerência no trabalho", observa.

Em outras ocasiões, o artista plástico pintou o submundo das cidades. "Não estou me traindo, mas olhando para outro lado, para outras coisas", ressalta.

Desta vez, escolheu temas mais cotidianos. "Todos têm a ver com a cidade. são pessoas que andam na rua no dia a dia. Tratam de gente no trabalho, de diversão e também de criança", diz. A inspiração veio da vivência, da memória afetiva, e também de lá de longe, da infância. "Eu vivi de pé no chão. é umretrato da memória. Apesar de não estar mais em São Paulo, gosto daquele corre-corre. Tem uma que é a goiabeira, da infância de subir no pé, colher a goiaba e comer até com o bicho. O leque é amplo", explica.

Werner não se afastou dos lugares que costuma - e gosta de - retratar. São personagens da periferia, com pouco dinheiro, sem qualquer tipo de lixo ou glamour.

Para dar título à exposição, era necessária uma obra que reunisse em apenas um desenho todo o espírito das outras. são imagens de épocas completamente diferentes, produzidas entre 2006 e 2012. "Reuni todas elas para montar a exposição. E Mesa de bar é uma das gravuras que mais ilustrou blogs e textos na internet. Foram mais de 50. Acho que é um título que reúne o sentido de tudo", avalia João Werner.

A exposição segue até 29 de junho. Depois que encerrar, o público poderá voltar os traços do submundo. O artista plástico Já está preparando uma exposição intitulada Mundos Artificiais, que vai retratar algumas relações com o ópio.

Dados da publicação

Fábio Luporini, "Cenas de botequim", Jornal de Londrina, Caderno "Divirta-se", pp. 17,  30 de abril de 2012.

Outros textos sobre a arte de João Werner

Textos de críticos de arte

Reportagens e matérias jornalísticas

Ensaios poéticos e apresentações de exposições

Livros de João Werner
à venda

Capa do livro "A figura na Comunicação Visual"

"A figura na Comunicação Visual"

Mais informações sobre o livro.
Kindle Amazon: R$ 38,37.

Capa do livro "A Terra e o trabalho com a Terra"

"A Terra e o Trabalho com a Terra"

Livro de arte com a reprodução de 34 pinturas cuja temática é o sagrado trabalho com a Terra. . São pinturas a óleo, acrílica e digitais, realizadas desde 2002.

Livro impresso, R$ 55,41.

Capa do livro "Mesa de bar"

"Mesa de bar"

Livro de arte com a reprodução de 32 pinturas a óleo, acrílicas e digitais sobre o cotidiano da vida citadina.

Livro impresso, R$ 55,41.

Capa do livro "Esculturas e relevos"

"Esculturas & relevos"

Reprodução de 48 fotografias de esculturas em cimento, madeira, ferro fundido, argila e gesso.

Livro impresso, R$ 58,06.

Capa do livro "Et in Arcadia Ego"

"Et in Arcadia Ego"

Reprodução de 39 pinturas a óleo, acrílicas e digitais de sátiros e ninfas.

Livro impresso, R$ 61,14

Capa do livro "Motel barato"

"Motel barato"

Livro de arte com a reprodução de 36 pinturas a óleo, acrílicas e digitais sobre o tema do erotismo e sexualidade.

Livro impresso, R$ 58,06.